Os animais ficam bêbados?

Ficam sim. Um dos vídeos mais populares do YouTube é esse que mostra animais da África – sobretudo elefantes, javalis e chimpanzés – totalmente cozidos na cachaça após comerem uma fruta típica da região chamada marula (matéria-prima da famosa Amarula).

Apesar do sabor idêntico ao do caramelo, a fruta produz um efeito narcotizante nos bichos. “Desde pequenos, os filhotes de elefante já têm o hábito de enviar a tromba na boca da mãe só para sentir o prazer ilusório da marula”, afirma o biólogo Pedro Farah, da Fundação Rio Zoo. As imagens seriam cômias se não fossem trágicas. Há relatos impressionantes de elefantes que, após consumirem cerveja de arroz, provocaram a morte de três pessoas no povoado de Marongi, na Índia, em 2004. Talvez ele não tenha gostado da marca.

Mas os elefantes não são os únicos a perder (mesmo que involuntariamente) a cabeça depois de umas doses. Segundo Farah, outros animais como cabras, renas e até aranhas, são capazes de atos inimagináveis após consumirem substâncias alucinógenas. Por outro lado, diferentemente do que alguns imaginam, um pernilongo, por exemplo, não vai ficar de porre simplesmente por que picou alguém alcoolizado. E o motivo é simples: “Nesse caso, o álcool funciona como uma espécie de repelente, que ajuda a espantar mosquitos e pernilongos”, diz o veterinário Francisco Vilardo.

Parcialmente retirado da Revista Galileu | abr/09.