Experiência faz ratos “meditarem”

Mestre Splinter

Primeiro, os bichinhos foram geneticamente modificados par que seus neurônios respondessem a pulsos de luz. Depois cientistas da universidade de oregon implantaram fibras ópticas no cérebro dos ratos: quando ligadas, as fibras emitiam luz, e isso aumentava as ondas elétricas theta (que os humanos tabém apresentam, quando dormem ou meditam).

Os ratinhos foram submetidos à “meditação elétrica” durante 20 dias, meia hora por dia. ao final do período, eles tinham se toranado menos ansiosos do que os outros camundongos.

Seria esta a prova de que é possível criar um Mestre Splinter na vida real? Comente!

Supercomentado!

Homens bonitos, grilos namoradores e sorrisos relaxantes

Algumas coisas que não sabemos não fazem falta nenhuma dentro do nosso cérebro quando este conhecimento é usado de forma isolada.

Porém, eu acredito que algumas bobagens aparentemente sem utilidade alguma, que aprendemos no decorrer de nossas vidas podem fazer a diferença quando tais informações são cruzadas com outras (mesmo sem percebermos), fazendo com que tenhamos mais idéias, resolvamos problemas de maneira criativa, e tenhamos assunto com gente estranha… e por vezes esquisita. Continue reading