Excelência no atendimento: comprando leite na pizzaria



Olá leitores, espero que não estejam zangados comigo, pois há algumas semanas não posto nada de novo aqui no Super, mas vou explicar: a banda Daniéis (da qual sou baixista) ministrou o louvor no 42º Congresso Nacional da JEC em Itaipulândia – PR, além disso faço parte da diretoria da JEC e os últimos dias foram bem corridos, mas valeu a pena! Fizemos nossa parte e Deus honrou mais uma vez suas promessas.

Mal Atendido

Há alguns dias, fui com minha mulher até uma loja de calçados aqui da cidade para trocar um presente de “amigo secreto” (amigo oculto) – um calçado que era um número menor do que o que ela precisava. Até aí tudo bem, só precisava pegar o mesmo modelo com um número menor ou outro calçado de valor aproximado. Entramos na loja e ao falar para a atendente que tratava-se de uma troca… fon, fon, fon, foooonnnn… A expressão da vendedora que já não era das melhores virou um horror. A cara de desânimo com que ela ficou deixaria pra baixo até animador de platéia do Silvio Santos.

O que se espera nestes casos, é que o vendedor: “atenda bem para que o cliente volte em breve”, mas no caso dela a estratégia deve ter sido: “atenda mal para que vá embora logo e não volte nunca mais”. Ela apontou para uma estante de calçados, disse: “tem aqueles ali”, usou sua cara de bunda e ficou encostada na parede olhando para o infinito enquanto minha mulher garimpava os produtos procurando um que servisse nos pés.

Não sou estúpido a ponto de dizer que nunca mais volto naquela loja, mas SE voltar e aquela mulher tentar me atender, eu sou estúpido a ponto de mandá-la encostar na parede, olhar para o infinito e esperar o salário.

Atendimento é o produto mais valioso que um estabelecimento comercial tem, e deve saber vendê-lo e entregá-lo com excelência. E aqui em Marechal Rondon, pelo menos, é difícil encontrar um atendimento de qualidade, que queira resolver o “problema” do cliente.

Bem Atendido

Em uma noite dessas, lembrei que não havia comprado leite para minha filha de 1 ano e meio. Resolvi ir até uma loja de conveniência para comprar um pacote de leite (ela não curte muito leite e caixinha), mas no caminho passei na pizzaria Capriccio e Arte no Posto Panorama, que é rápida, perto da minha casa e tem um atendimento incomparável.

Na pizzaria, a atendente me chamou pelo nome, anotou meu pedido, disse que estaria pronto em 10 minutos e perguntou se eu precisava de mais alguma coisa. Aí respondi que da pizzaria não precisava de mais nada, só precisava encontrar um pacote de leite para minha pequena. Para minha surpresa, ela disse que tinha o leite (usam para fazer a massa), e me venderia pelo preço que compra (preço de custo – mais barato do que eu pagaria).

Isso é bom atendimento: interesse real em resolver o problema do cliente. Claro que não vou até a pizzaria quando precisar comprar leite para a Ana Sophia, mas dificilmente vou comprar pizza em outro lugar.

Supercomentado!