Memristor: o fim do pendrive?

Parece que foi ontem que substituímos os CDs regraváveis por pen drives e os cartões de memória e pensamos “uau, que prático!! Chega de CD de dados!”. No entanto, a tecnologia não para e tudo indica que em breve pensaremos a mesma coisa e falaremos “uau, que prático! Chega de pen drive!”… será?

Pois é, se depender da HP, o futuro está no memristor – uma nova tecnologia de armazenamento feita de fios de dióxido de titânio de apenas 150 átomos de largura. Funciona assim: uma corrente elétrica passa por estes fios em uma direção certa e a resistência dos fios muda. E isto é tudo o que você precisa para a memória do seu computador: a habilidade de transformar tudo em 1 ou 0 e capacidade de ler o fio medindo a distância.

Assim como os pen drives normais, os memristors guardam dados sem precisar de nenhuma energia e, de acordo com a HP, são super simples de manufaturar – eles já têm vários no estoque. Ou seja: não estamos falando de projetos ainda na prancheta, estamos falando de um produto prestes a entrar na linha de produção.

E quais são as verdadeiras vantagens reais do memristor? Bem, ele lê os dados em 10 nanosegundos e grava e apaga em apenas 0,1 nanosegundo. A marca ainda garante que os dados gravados ali duram anos e que você pode abrir e fechar os arquivos mais de 1 bilhão de vezes sem ele dar tilt.

Ainda ficou no vácuo? Isto significa o dobro da capacidade de armazenamento, velocidade dez vezes maior, consumo de energia dez vezes menor e maior tempo de vida – e o preço não vai ser muito diferente do preço de um pen drive atual.

A previsão é que o novo brinquedinho chegue ao mercado em 2013 e corre o boato de que a Samsung já está na concorrência.

Fonte: Superinteressante

Curtiu? Supercomentado!

Comente