Caldo: Fotos subaquáticas de água, gente e areia

Em 2009 (se não me falha a memória) eu vi o mar pela primeira vez – de corpo presente – na praia de Itapema – SC. Tentando surfar (bodyboard) conheci também a força das ondas e um negócio que chamam de CALDO – quando uma onda te arrasta por alguns metros rolando na areia dura e compactada do fundo do mar… dói.

Mas valeu a pena, para quem ainda não conhece, eu recomendo… e duas dicas importantes: 1) Não precisa provar a água pois é salgada mesmo (você vai provar depois mesmo sem querer). 2) Quando a onda vier, tente passar por baixo dela, por cima não róla… ou melhor róla que é uma beleza.

Pois bem, fotógrafo e surfista Mark Tipple resolveu fazer arte com os tombos alheios. Pegou uma câmera e foi fotografar aquilo que geralmente ninguém vê, nem o dono do tombo.

supercomentario

supercomentario
Com o equipamento devidamente protegido, ele ficava no rasinho, ali onde as ondas quebram (e quebram mesmo) para pegar o momento “rala-bunda” dos surfistas e banhistas das praias australiandas.

Confira algumas imagens:
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario
supercomentario

Você pode ver mais imagens visitando o site do projeto.

Tem também este vídeo com caldos pra lá de artísticos.

 

Curtiu? A idéia para o post veio do site da Revista Galileu.

Supercomentado!